A contribuição para a produção de novos conhecimentos sobre jovens no Brasil constitui um esforço coletivo que envolve uma ampla gama de pesquisadores, além de estratégias variadas. Um caminho prolífico tem sido a produção de obras de última geração e também de pesquisas bibliográficas, pois contribuem tanto para o surgimento quanto para a estruturação de campos do conhecimento.

Um importante debate sobre pesquisa educacional no Brasil ocorreu a partir da década de 1980 em torno dos chamados métodos qualitativos estudos de caso, etnografias, histórias de vida, entre outros. Tinha a ver com encontrar maneiras que levariam a alternativas à hegemonia de abordagens quantitativas baseadas em procedimentos estatísticos.

Esse foi um debate produtivo porque, a partir da atitude de oposição aberta entre essas duas perspectivas, surgiu um consenso crescente sobre a importância de ambas, e sobre sua complementaridade mútua na produção de novos conhecimentos, que tendiam a vê-las como uma questão de escala.

Levantamento sobre o estudo de jovens e adultos no país

A escola constituía a juventude, tanto na sua saída do mundo do trabalho quanto na criação de um mundo relativamente autônomo, que contemplava formas específicas de sociabilidade entre pares, de consumo, lazer e lazer. uso do tempo livre, essas características por si só não poderiam ser responsáveis ​​pela condição juvenil no Brasil.

prova-encejja

Dentro dessa ampla gama de especificidades, são encontradas como relevantes para a discussão proposta aqui as intrincadas relações que os jovens mantêm com a escolaridade e com o mundo do trabalho no Brasil. Sem negar os espaços importantes para a gestão da vida entre os jovens oferecidos pela escola, seria importante reter a noção de que, ao oferecer um processo mais recente de extensão escolar, o mundo escolar recebeu nos últimos anos inúmeros estudantes que já haviam experimentado vida juvenil em espaços de lazer e consumo fora do ambiente escolar.

Os processos de exclusão precoce do sistema escolar, principalmente entre os segmentos populares, não trouxeram nos últimos 50 anos uma situação irreversível para parte daqueles que tiveram acesso à escola. Idas e vindas, adiamento da escolaridade para momentos posteriores da vida, incluindo a idade adulta, sempre estiveram presentes na sociedade brasileira, dificultando o estabelecimento, sob o ponto de vista do processo, de marcadores definitivos para o final da escolarização.

A formação de jovens e adultos no Brasil

Quando falamos de educação de jovens e adultos no Brasil parece ser uma coisa contemporânea, mas, na verdade, o processo educacional no Brasil nunca foi tão difícil de formar como a proposta de educação de jovens e adultos. Embora muito tenha sido trabalhado para organizar o ensino de jovens e adultos, obtido hoje, era um espelho do que a experiência estava propondo, todas as mudanças que ocorriam no sistema educacional brasileiro. Não houve propostas para aprofundar a parte social ou a capacidade cognitiva dos sujeitos envolvidos no processo e como eles construíram o seu conhecimento.

Embora eles falem que na educação de jovens e adultos no Brasil, seu sistema hoje é muito grande e ele mostra um equilíbrio, porque em vários momentos da aplicação pedagógica, ele apresentou pontos para compensar o tamanho do sistema. Porém, como veremos que a Encceja também foi criada a partir de erros e inadequação de currículos, métodos e materiais de ensino, que apesar de difíceis de admitir, ainda persistem em muitos locais de aprendizagem, têm suas características locais.

 

encejja-simulado

A Educação de Jovens e Adultos na atualidade é um direito constitucionalizado,
apoiado por mecanismos financeiros e jurídicos que garantem sua implementação. É uma
modalidade estratégica que promove o acesso de jovens e adultos à educação, elevando os
índices de escolarização dos brasileiros.

No ensino fundamental, a idade mínima para ingresso
é de 15 anos com uma carga horária de 600 horas para os anos iniciais e 1600 horas para os
anos finais.

No ensino médio, a idade mínima para ingresso é de 18 anos, com uma carga
horária de 1200 horas. As matrículas nessa modalidade são feitas nas escolas estaduais,
municipais e particulares, em qualquer época do ano, garantindo o acesso do aluno conforme
sua disponibilidade.

O ENCCEJA

O ENCCEJA tem como principal objetivo construir uma referência nacional de educação para jovens e adultos por meio da avaliação de competências, habilidades e saberes adquiridos no processo escolar ou nos processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nos movimentos sociais e
organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais, entre outros.

inscrição-encejja

A partir das novas regras do ENCCEJA e pela facilidade que essa modalidade oferece
aos alunos, esse recurso está se tornando em uma opção prática e relevante para os candidatos
a obter certificação no nível de conclusão do ensino fundamental e médio.

Você que pretende participar do encceja 2020, deve ficar atento ao site que irá divulgar um tipo de simulado para que os participantes possam ter uma ideia de como será o dia da prova, nesse simulado você poderá onde deverá mais focar para obter uma boa nota no dia da prova.